Frete Grátis para todo o Brasil

Empreendedora francesa adapta modelo de negócio flexível no Brasil

A designer Vanessa Pol, criadora da Ponto Deco, falou na Semana do Dia Internacional da Mulher 2018 sobre sustentabilidade, moda feminina e trabalho.

A designer Vanessa Pol, criadora da Ponto Deco, falou na Semana do Dia Internacional da Mulher 2018 sobre sustentabilidade, moda feminina e trabalho.

Entrevistadora Bem-vinda, Vanessa!

Vanessa Obrigada!

Entrevistadora A Ponto Deco é um modelo diferente de trabalho do que costumamos ver no Brasil. Quantos anos a Ponto Deco já comemorou até agora?

Vanessa A marca é ainda bem recente, nasceu em agosto de 2014.

Entrevistadora E de onde surgiu a ideia de trabalhar com crochê e usar fios reciclados?

Vanessa Surgiu da vontade de ajudar minha mãe, que vive na França e queria muito vender o que produzia. Foi organizando essa vida de vendas online para ela que descobri esse fio de malha, o que me fascinou imediatamente, além de encontrar vários artesãos incríveis pelo mundo! Imagina fazer arte com tecidos jogados no lixo! Transformá-los, redimensioná-los e desconstruí-los para formar novas combinações. Foi amor à primeira vista.

Entrevistadora Um diferencial da Ponto Deco é a sistematização do trabalho, não é? As pessoas que trabalham no ateliê já tinham experiência ou você as capacitou? Qual é o perfil dessas pessoas?

Vanessa São mães de família, avós, mulheres que têm uma casa para cuidar e que já faziam crochê antes, mas elas recebem um treinamento para os modelos específicos. Mesmo assim, é fundamental que elas façam apenas as peças que gostam de criar. Com a Ponto Deco, elas podem ser independentes sem precisar sair de casa, podem continuar a cuidar de seus lares e de suas famílias. É um trabalho que não provoca rupturas, entende, não acarreta despesas nem perda de tempo com deslocamentos. Elas têm toda a liberdade de escolher seus próprios horários, além disso, o que importa é o resultado e não a rigidez do processo. Claro que é preciso ter coragem e ser muito caprichosa no trabalho, pois sou muito exigente em matéria de qualidade, indispensável quando queremos nos diferenciar do trabalho industrializado.

Entrevistadora Como você relaciona sua atividade com o meio social? Você se preocupa com as pessoas que fazem parte do meio, se preocupa com o cuidado com a origem do material que vocês usam?

Vanessa Olha, desde que nasci na França fui francesa a minha vida toda (risos). Ao longo da minha juventude, assisti com alguma preocupação ao desaparecimento dos produtos “made in France”, substituídos por um sistema de produção desumano e em série à la “made in China”. Vi a qualidade desaparecer, as empresas locais fecharem e o planeta sofrer. No caso de um país gigantesco como o Brasil, com imensos recursos e talentos que precisam absolutamente ser explorados, é preciso dar trabalho para a mão de obra local com um sistema humano, flexível e moderno. Talvez seja o momento de os brasileiros sofrerem menos com taxas de importação, por exemplo. Por que não consumir o que é feito à mão no Brasil, com matéria prima brasileira, no mercado brasileiro para o mercado brasileiro? O cliente muitas vezes paga caro por um artigo de decoração importado da Índia e fabricado na desigualdade do povo indiano, com um sofrimento que até pode estar do outro lado do mundo, mas é também tão perto do que conhecemos aqui. Isso é não apenas chocante como também é totalmente inútil.

Entrevistadora Você acredita que criar de maneira consciente, pensando no impacto ambiental, é uma tendência que veio para ficar? Por quê?

Vanessa Sim, acredito nisso. Os desastres que o consumo excessivo (fabricar muito ao menor preço possível) acarreta para o planeta e para os homens se tornou algo óbvio. Essa tendência sustentável não pode ser revertida, pois não temos mais escolha: precisamos consumir com ética. É vital e é assim que deve ser!

Entrevistadora Qual a importância de espaços como a Casa Viva, voltados para promover o trabalho autoral brasileiro?

Vanessa Conseguimos dar passos de gigante graças a projetos como a Casa Viva. Tudo o que vendemos é feito com paixão, o desafio hoje consiste em valorizar o trabalho feito à mão. É claro que não podemos concorrer com produtividade em massa das máquinas, mas existe uma experiência diferente poder comprar peças únicas, que ninguém jamais terá igual.

Entrevistadora Qual mensagem você quer passar para as pessoas que apoiam e colaboram com a Ponto Deco?

Vanessa Um enorme e honesto agradecimento! Você acabou de fazer uma escolha inteligente, que valoriza a reciclagem, os talentos locais e contribui para que famílias brasileiras realmente vivam melhor. Parabéns pela sua bela abertura de espírito!

Entrevistadora Obrigada, Vanessa!

Vanessa Imagina, foi um prazer!

Post anterior Próximo post

1 Comentários

  • joehvqrqpr 04:43 AM

    Muchas gracias. ?Como puedo iniciar sesion?

Deixe um comentário